Belém e mais 9 cidades entram em lockdown a partir de hoje

Mauro Angelo/Diário do Pará

Com 768 novos casos, o Pará ultrapassou ontem a marca de 5.500 pessoas infectadas com o novo coronavírus. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), são 5.524 casos confirmados e 410 óbitos até agora no Estado, com Belém no epicentro, registrando até agora 2.898 casos.

A capital também concentra o maior número de óbitos por Covid-19, 216 no total, e apresenta uma taxa de mortalidade de 7,45%. Com 566 infectados e 24 vítimas fatais, Ananindeua vem a seguir no ranking. Em todo o Pará, 2.898 pessoas foram consideradas recuperadas da doença. Até o boletim mais recente divulgado pelo Governo, haviam 288 exames em análise.

O aumento dos casos, em grande parte consequência da baixa adesão da população ao isolamento social, obrigou o Governo do Estado a decretar o ‘lockdown’ na capital e em 9 cidades (Ananindeua; Marituba; Santa Bárbara; Castanhal; Santo Santônio do Tauá; Santa Izabel; Breves; Benevides e Vigia).

“A Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde e toda a área técnica da saúde e da ciência deixam claro que enquanto não houver vacina, algum medicamento que gere e se comprove a proteção e cura das pessoas, devemos agir através do isolamento para diminuir o número de contaminados e o número de pessoas enfermas. Aqui no Pará, a vida e as pessoas estão em primeiro lugar”, declarou o governador Helder Barbalho, em entrevista à Jovem Pan, ontem, ao justificar as novas medidas.

ISOLAMENTO

No dia em que o governador decretou lockdown, o Pará registrou 45,52% de índice de isolamento social, ocupando a 8ª posição do ranking nacional, muito distante do recomendado pelos órgãos de saúde pública que é de 70% da população em casa. Esse é o segundo pior índice já computado, perdendo apenas para o dia 30 de abril, quando o índice apontou 45,26% de isolamento social.

Os dados foram divulgados ontem (6), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por meio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac). O titular da Segup, Ualame Machado, chamou atenção para o comportamento das pessoas que fez refletir nos números abaixo de 50% de isolamento. Reforçou, ainda, que sem a contribuição da maioria das pessoas, medidas mais enérgicas precisaram ser tomadas.

“O Pará teve ontem um dos seus piores isolamentos sociais, cerca de 45% apenas de isolamento, abaixo de 50%, quando o recomendado é 70%. Ficamos na 8ª posição, e o Pará que estava oscilando sempre entre os cinco melhores Estados, teve o índice de isolamento muito ruim em termo de percentual e também em termos de ranking, o que demonstra a necessidade de todos os governos integrados atuarem com mais firmeza. Em razão disso, medidas mais rigorosas foram adotadas e serão implementadas para que a gente possa atingir o objetivo almejado”, disse o secretário.

Bannach e Nova Esperança são destaques no Estado

De acordo com o levantamento, ao analisar as cidades paraenses, os três melhores índices de isolamento, com as pessoas passando mais tempo em casa, estão nos municípios de Bannach (64,3%), Nova Esperança do Piriá (64,3%) e Magalhães Barata (62,5%). Os piores índices são em Sapucaia (26,5%), Palestina do Pará (28,1%) e Piçarra (30,5%).

Nos municípios de Marabá (sudeste) e Santarém, que já contam com Hospitais de Campanha para pacientes de Covid-19, e Breves (no Marajó), que espera apenas equipamentos para a unidade, as taxas de isolamento registradas na terça-feira foram, respectivamente, 41%, 38,8% e 65,1%.

BELÉM

Em Belém, incluindo os distritos, os bairros com as maiores taxas de concentração em casa na terça-feira foram: Campina de Icoaraci (62,1%), Val-de-Cans (60,5%) e Terra Firme (58,9%). Já os bairros onde as pessoas desobedeceram à recomendação de ficar em casa, registrando um baixo índice de isolamento, foram: Águas Lindas (26,7%), Cidade Velha (30,2%) e Águas Negras (31,5%).

Em Ananindeua, os melhores índices foram registrados nos bairros Cidade Nova VII (53,5%), Júlia Seffer (53,4%) e Centro (52,8%). Já os piores índices foram observados nos bairros Guanabara (32,2%), Cidade Nova V (36,0%) e Icuí-Laranjeira (36,4%).

Fonte: Diário do Pará

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*